terça-feira, 26 de janeiro de 2016

"Reflexões sobre a linguagem hodierna"

Esse recente artigo do escritor português Manuel Monteiro -- publicado no site do jornal português Público -- traz uma breve análise sobre o funcionamento e as disfunções da linguagem corrente na atual cultura tecnológica:

"A antropomorfização e o terror dos mercados, a sacralização e a sexualização da tecnologia são insidiosamente servidas, como se caminhássemos inexoravelmente para uma utopia tecnocapitalista, com o inglês como o novo esperanto."

Eis o texto na íntegra, aqui:

domingo, 10 de janeiro de 2016

La Llamada del Puma


O livro La Llamada del Puma (2015) é um resultado do projeto Looking for the Wild, do casal Andoni Canela e Meritxell  Margarit e de seus dois filhos, que registraram em imagens e textos a Natureza selvagem tal como a foram encontrando em uma viagem de volta ao mundo.

Feita em 15 meses, nessa viagem eles percorreram mais de 100.000 km à procura de lugares e animais selvagens: 63.000 km pelo ar, 36.000 km por terra e 3.000 km por água.

Esboço do trajeto feito com o projeto Looking for the Wild

domingo, 27 de setembro de 2015

"Inteligência artificial: máquinas que pensam devem surgir 'até 2050'"...

... É o título de uma notícia publicada em 20 de setembro de 2015 -- no site da BBC Brasil.

"Especialistas acreditam que a inteligência das máquinas se equiparará à de humanos até 2050, graças a uma nova era na sua capacidade de aprendizado."

De agora até então, serão uns 35 anos; praticamente, uma geração. Será esse o tempo que nos resta... para agir?

Inteligência artificial: máquinas que pensam devem surgir "até 2050"

Leia também no site da BBC Brasil:

domingo, 13 de setembro de 2015

"Somos seres olhados. E escutados. Até quando?"

Desde a "pirataria" informática até os Estados e os seus governantes, passando pelas "redes sociais" e as empresas que as controlam: essas são as 3 principais ameaças à nossa privacidade elencadas por Joseph Cannataci, o novíssimo "relator especial para a privacidade" da ONU -- diz a matéria publicada no jornal português Observador. Cannataci chega a comparar a nossa situação atual com aquela imaginada por George Orwell em seu livro "1984":

“É bem pior. Hoje há câmaras de vídeovigilância (CCTV) em todo o lado. O Winston [Winston Smith, o personagem principal da trama orwelliana] é capaz de se refugiar no campo, esconder-se por debaixo de uma árvore, sem ser visto. Hoje em dia, há muitas zonas rurais inglesas que têm mais câmaras do que Orwell sequer imaginaria. A tecnologia está desenvolver-se de tal modo, que se torna sinistra.”